17
Ago 07
Assalamu Aleikum,
Visto que o meu irmao MH nao esta em Portugal, vou fazendo umas posts:

Aqui estao dez coisas que nos muculmanos devemos fazer neste Ramadao que vem:

1. Comer e beber em moderacao
Quase nos todos comemos sem parar por vezes a volta da hora de Iftar. Isto e o contrario do espirito de Ramadao, temos que aprender a controlar-nos. Vamos tentar respeitar a regra Profetica de comer: um terco de comida no estomago, um terco de agua, e um terco de ar.

2. De um euro em caridade, ou dois, ou cinco...
O Profeta Muhammad, Paz esteja com Ele, era sempre generoso, especialmente no Ramadao, abram os vossos coracoes e de a quem precisa, e a intencao que conta.

3. Memorize 4 novos Surah do Qur'an Sharif
Decorar parece dificil, mas o segredo e faze-lo em pequenas partes. Ha quatro semanas no Ramadao, entao decore um Surah em cada semana. Comece com pequenos, e continue aumentado o tamanho.

4. Va a Tarabi
Depois de Iftar, a maioria de nos dorme depois do cansativo jejum. Tente ir a Tarabi e junte-se aos nossos irmaos muculmanos e encontre bencaos fantasticas. Se nao poder ir todos os dias, va pelo menos uma vez por semana

5. Va ao Tarabi no dia que o Imam acabe de recitar o Qur'an Sharif
Nao va so nessa grande noite para ouvir o Imam recitar o Qur'an, mas participe tambem nos Duahs e cerimonias que vem depois do Tarabi

6. Pare com asneiras e nao magoe a ninguem
E dificil parar de dizer asneiras, palavroes e ate magoar pessoas, entao faca assim:
Cada vez que fizer um acto destes, meta dinheiro numa caixa, assim desta maneira ira ter mais cuidado.

7. Fale com a sua familia
Nos todos temos internet ou telefones. Nesta ocasiao especial contacte a sua familia ou amigos e fale sobre o Ramadao, sobre Islam, ou so ate para cumprimentar

8.Faca uma dieta da tecnologia
Leia menos emails e navega menos na internet sem motivo, e concida esse tempo a Allah Subhannatalla, reze.

9. Recite 5 minutos do Qur'an
Para entrar no espirito de Ramadao, recite apenas 5 minutos do Qur'an, dessa maneira ira entrar em harmonia com Allah e a Sua Revelacao.

10. Perdoe as pessoas que o magoaram
Dez dias Allah vai perdoar as pessoas, porque e que nos nao perdoamos a pessoas tambem? E bom para a alma e para o mundo, faca um esforco e ignore os maus pensamentos.

Peco desculpa pelos erros gramaticais, mas tive que traduzir do ingles.

Espero que sigam os meus conselhos  

03
Jul 07
Os presidentes do Irão e da Venezuela lançaram ontem a primeira pedra para a construção de uma empresa mista para produzir metanol no Irão. O projecto, que vai custar 700 milhões de dólares (cerca de 540 milhões de euros) e que estará concluído dentro de quatro anos, produzirá 1,65 milhões de toneladas de álcool metílico em Assaluyeh, sul do país.

Adoptando um discurso próximo daquele que é habitualmente proferido por Hugo Chávez, Mahmud Ahmadinejad saudou a iniciativa como "gloriosa" e terminou a sua intervenção com uma frase que o líder venezuelano poderia ter dito: "Viva as duas nações e todas as nações revolucionárias! Morte ao inimigo!".

Já Hugo Chávez adoptou a atitude do líder iraniano, pontuando várias vezes o seu discurso com uma expressão típica do Islão: Incha Allah (Se Deus quiser!").

Numa conferência de imprensa conjunta efectuada em Assaluyeh, junto ao Golfo Pérsico, os dois dirigentes aludiram a um projecto conjunto que deverá ser lançado na Venezuela, e prometeram desenvolver as relações comerciais bilaterais.

Hugo Cháves, que no domingo tinha sido recebido pelo Guia da Revolução, Ayatollah Ali Khamenei, aludiu ainda ao reforço dos laços que unem Teerão e Caracas, considerando que esta aliança contribuía para a derrota do imperialismo
Siscuta este tópico em:
http://merajnet.16.forumer.com/viewtopic.php?t=121

03
Abr 07


Milan Rados, Professor da Universidade do Porto

Na Primavera de 1999, a OTAN castigou severamente a Sérvia. A razão deste ataque, sem cobertura da ONU, foi, segundo a Aliança Atlântica, uma catástrofe humanitária que estava a decorrer neste lugar remoto da península balcânica. O povo maioritário, os sérvios, estava a massacrar o povo minoritário, os albaneses. Depois de três meses de bombardeamentos, o regime de Milosevic rendeu-se, e as tropas da OTAN entraram no Kosovo. Foi posteriormente adoptada a resolução da ONU que legalizou a ocupação temporária, mas o território continuou a pertencer juridicamente ao Estado sérvio. Um tribunal da ONU julga os acusados pela catástrofe humanitária. O nome legal para tal catástrofe é genocídio. Muitos já foram condenados pelos diversos crimes de guerra, mas o genocídio no Kosovo não foi confirmado.

A situação presente na região, a segurança dada pela OTAN e paga pela UE, não pode durar eternamente. Por isso, o medidor da ONU, Martti Ahtisaari, ofereceu um plano que prevê independência controlada do Kosovo. A sua proposta coincide com a posição da maior potência do mundo. Os norte-americanos agradecem e apoiam, mas a situação está complicada. Os EUA, a França e o Reino Unido vão apoiar, no Conselho da Segurança, a proposta de Ahtisaari. A Rússia ameaça vetar. A China, embora discretamente, pensa fazer o mesmo. A UE, oficialmente unida, continua realmente dividida entre a velha Europa, que quer ser independente perante os EUA, e a nova Europa, que se alia fortemente com a política externa norte-americana.

Não havendo uma solução na ONU, em que ponto estamos?

Temos uma alta tensão entre a Sérvia e os seus vizinhos, entre a Grécia e os seus vizinhos, entre a Albânia e os seus vizinhos… Se a Rússia apoiar a Sérvia, o que parece garantido, também teremos uma grave crise internacional. Para evitar maiores complicações, os EUA ofereceram à Sérvia a entrada na OTAN e na UE. Claro, se for aceite o plano proposto. Nas eleições realizadas há pouco tempo, os sérvios responderam positivamente. Mais de dois terços votaram nos partidos que ofereceram a perspectiva ocidental. Os sérvios querem viver na UE. Disso já não há dúvidas. Mas, os mesmos sérvios rejeitaram em uníssono a oferta de Ahtisaari. O Kosovo continua a ser algo importante para eles.

As negociações entre a Rússia e os aliados ocidentais não correm bem. A segunda maior potência militar criticou fortemente a política unilateral dos EUA, querendo um papel mais importante nas relações internacionais e, aparentemente, tem trunfos para isso. Enquanto os americanos têm problemas no Afeganistão, no Iraque, no Irão, na Síria, na Somália, na Coreia do Norte… a Putin as coisas não correm mal. Recentes acontecimentos, como são sanções muito limitadas contra o Irão, estão a indicar que as forças das grandes potências estão equilibradas em maior grau do que estiveram no fim da Guerra Fria. Dessa maneira, aumenta a previsibilidade mútua das suas acções; isto traz mais estabilidade às suas relações. Mais estabilidade inspira mais confiança. Esta promete períodos mais largos de paz. Aliás, o sistema internacional multipolar é sempre mais favorável à paz e ao progresso do que qualquer unilateralismo.

Os Balcãs eram e são um barril de pólvora. Já incendiaram um conflito generalizado, o da Primeira Guerra Mundial. Neste momento, os diplomatas estão a jogar. Só as negociações podem conduzir a bom porto.

As imposições sairão sempre, no fim, muito caras.

Jornal de Notícias

29
Mar 07
Atenção, Este vídeo pode ferir os sentimentos de pessoas mais sensíveis, se esse é o seu caso, não o veja.

http://www.bushflash.com/pl_hi.html


Salams,
Será que existe a verdadeira paz? Será que eles são livres? Será que neste caso o homem, a mulher e até a criança tenham direitos? Será que não podemos contornar esta situação? Será que esta ausência de paz terá que perdurar eternamente?.....??????



22
Mar 07
Falta de água provoca 1,5 milhões de mortes por ano
A ONU alerta que mais de 1,5 milhões de pessoas, 90 por cento das quais crianças com menos de cinco anos, morrem anualmente devido á falta de água. O director-geral da UNESCO considera que a falta deste bem essencial ameaça a paz e a erradicação da pobreza.
 
( 09:30 / 22 de Março 07 )

 

No Dia Mundial da Água, a Organização das Nações Unidas (ONU) alerta para a urgência de preservar os recursos hídricos do planeta, tendo em conta que, por ano,
mais de 1,5 milhões de pessoas morre por não ter acesso a água de qualidade ou a higiene.

Cerca de 90 por cento dessas mortes ocorre entre crianças com idade inferior a cinco anos, porque a escassez de água leva a que procurem fontes hídricas pouco saudáveis, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

Num relatório agora divulgado, a ONU alerta também que uma em cada cinco pessoas não chega a ter 20 litros de água potável por dia, a quantidade considerada mínima para cada ser humano.

Por outro lado, o consumo médio diário deste bem essencial por europeus e norte-americanos varia entre os 200 a 600 litros.

Estas discrepâncias levam a ONU a concluir que a escassez de água resulta sobretudo da pobreza, sendo que a água imprópria para consumo e a falta de saneamento são o destino das pessoas pobres um pouco por todo o mundo.

Devido à má distribuição deste recurso, a água sai cinco a dez vezes mais cara nos bairros degradados dos países em desenvolvimento, em relação aos locais onde existe água canalizada.

A escassez deste recurso natural acontece sobretudo nas zonas áridas e semi-áridas, frequentemente afectadas por seca e onde existe regra geral uma grande densidade populacional.

A ONU lembra que um elevado número de pessoas exige uma maior produção de alimentos, logo um maior consumo de água, levando os recursos hídricos a serem ainda mais insuficientes naqueles locais.

A falta deste bem essencial, associado ao facto de as reservas hídricas estarem mal distribuídas no planeta, incita a disputa da água que tem provocado vários conflitos, alerta ainda o relatório.

Este cenário levou o director-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), Koïchiro Matsuura, a afirmar que a escassez de água e a luta por este bem são uma ameaça a paz e à erradicação da pobreza.

TSF Online

05
Mar 07

O crime dos judeus contra Jesus (que a Paz esteja sobre ele), privou-os das graças e benesses de Deus. Jesus (que a Paz esteja sobre ele), disse-lhes que depois dele não apareceria nenhum outro profeta entre eles e que a Reino de Deus lhes seria tirado e dado a uma nação mais digna dele.

Anunciou também que a pedra que os construtores haviam rejeitado, ela mesma havia sido escolhida por Deus para tornar-se à pedra fundamental. Querendo com isso dizer que os filhos de Ismael (que a Paz esteja sobre ele), aos quais os filhos de Israel haviam rejeitado e despojado, haviam sido Escolhidos por Deus para a sua maior graça, o Profeta Universal apareceria entre os Ismaelitas, e Jesus (que a Paz esteja sobre ele), profetizou a vinda dele em termos bastante resolutos:  

"Ainda tenho muitas coisas para vos dizer, mas não podeis atualmente capazes de suportá-las. No entanto, quando esse chegar, o espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade." (João 16: 12-13)  

''Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós;... E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.'' (João 16:7 e 8)

''E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre. O Espírito da verdade....'' (João 14:16 e 17)

''Tenho-vos dito isto, estando convosco. Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará...,  esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.'' (João 14:25 e 26)

Em um Evangelho não canônico, o de São Barnabé, Jesus (que a Paz esteja sobre ele), menciona o espírito da verdade ou o Consolador, o Profeta que viria depois dele para ensinar ao mundo ‘’toda a verdade’’, que assim transcrevemos:  

Então disse o sacerdote:’’ Como se chamará o Consolador, e que sinais revelarão a vinda dele?’’ Jesus respondeu: ‘’O nome do Consolador é Admirável, pois Deus leu-lhe um nome quando criou a sua alma, e a colocou em Esplendor Celeste. Deus disse: Espere Muhammad, por ti Eu criarei o paraíso, o mundo e um grande número de criaturas, e tudo dar-te-ei de presente, de maneira a que todo aquele que te abençoar será abençoado, e aquele que te amaldiçoar será amaldiçoado. Quando Eu te enviar ao mundo, Eu te enviarei como Meu Mensageiro da salvação, e tuas palavras serão verdadeiras, e mesmo depois que os céus e a terra tenham passado, a tua fé jamais passará. Muhammad é o nome abençoado dele.’’ E a multidão levantou a voz em coro clamando: ‘’Ó Deus, envia-nos Teu Mensageiro. Ó Muhammad, venha depressa para a salvação do mundo.’’ (9)

17
Jan 07
O presidente do Irão, Mahmoud Ahmadinejad, garantiu não temer um ataque nuclear israelita, por considerar que «Israel conhece bem a força do povo iraniano».

«Israel nunca terá a ousadia de nos atacar. Nem eles nem os seus amos», disse o presidente iraniano em entrevista concedida em Manágua, uma das capitais visitadas por Ahmadinejad na sua viagem à América Latina, e publicada hoje pelo jornal espanhol El Mundo.

Salientou ainda que «todos os povos do Médio Oriente odeiam o regime sionista», o qual descreveu como um regime «imposto, ditatorial, totalitário na região, que está interessado em prejudicar o povo iraniano».

Salientando as boas relações do Irão com a Venezuela e a Nicarágua, o presidente iraniano afirmou que chegou o momento de «as grandes potências mudarem as suas percepções sobre os assuntos internacionais e sobre a região (o Médio Oriente)».

Ahmadinejad questionou porque os britânicos e norte-americanos continuam no Iraque, afirmando que o «problema do Iraque é a presença de tropas estrangeiras». «O Irão apoia a sua independência e desenvolvimento», sublinhou.

Questionado sobre se a execução de Saddam Hussein fomentará ainda mais a divisão entre sunitas e xiitas, Ahmadinejad afirmou que «os conflitos entre xiitas e sunitas só sugiram no Iraque depois da intervenção britânica e americana».

«(Os EUA e o Reino Unido) Pensaram que tirando uma personagem tão odiada (como Saddam) podiam permanecer na região e ganhar a simpatia da população», considerou, frisando que, no entanto, o «resultado foi totalmente diferente do esperado, porque britânicos e americanos são hoje odiados por todos os povos da região».

O presidente iraniano deseja que o país vizinho «alcance a paz, em benefício de todos, porque o Irão é o primeiro prejudicado pela insegurança existente no Iraque» e oferece o seu apoio a «qualquer pedido de ajuda que o Governo iraquiano venha a fazer».

Na entrevista, Ahmadinejad referiu-se de novo ao Holocausto e questionou «onde este aconteceu, se realmente existiu e que culpa tem o povo palestiniano».

Ahmadinejad acrescentou que, «sob o pretexto do Holocausto, o regime sionista foi imposto ao povo palestiniano durante seis décadas», o que é, segundo ele, «a maior injustiça da história da humanidade».

«Não queremos guerra, não queremos conflito, não queremos ódio. O que pretendemos é resolver o problema do regime sionista, que é a origem do ódio», afirmou o presidente iraniano, depois de propor várias soluções para a situação dos territórios palestinianos.

«Todo o mundo sabe que Israel possui armas atómicas e que os EUA e o Reino Unido estão contentes com isso. O Irão colaborou com a Agência Internacional da Energia Atômica. Respeitamos as normas vigentes», disse Ahmadinejad, a respeito da resolução aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU diante da crise nuclear.

Acrescentou que «o Conselho de Segurança é o encarregado de defender os direitos dos povos, mas os EUA e o Reino Unido transformaram a entidade no seu instrumento».

Quanto à viagem pela América Latina, o presidente iraniano disse que está interessado em ampliar as relações com todos os Governos e povos do mundo.

«Temos relações excelentes com a Venezuela. Com a Nicarágua tivemos relações muito amplas. O movimento progressista do povo nicaraguense foi contemporâneo da revolução iraniana, em 1979. Há, portanto, um sentimento de proximidade e amizade entre os países», salientou.

17-01-2007 11:04:25

Diário Digital


12
Jan 07
Salams, parece que está disponível uma nova versão do Google Earth, com edifícioas a 3 dimensões e a cores, entre muitas outras funcionalidades. Eu já experimentei e dá para visitar muitos locais religiosos islâmicos, e cidades com edifícios a 3D, que nos podemos construir, como o Dubai, simplesmente  fantástico.  Faz o download neste site:



Google Eath

11
Jan 07
    Dubai, Emirados Árabes Unidos, 10 Jan (Lusa) - O Benfica, novamente no desempate nos pênaltis (5 a 4) e com três defesas do guardião Moreira, venceu nesta quarta-feira o Torneio de Dubai, após empate (0 a 0) na final, contra a Lazio, da Itália, no Estádio Rashid.

O primeiro lugar e a presença neste emirado árabe deram aos benfiquistas 1,15 milhão de euros (R$ 3,2 milhões), depois de já terem vencido o Bayern Munique, também sem nenhum gol nos noventa minutos, com a vitória garantida nas grandes penalidades (4 a 3).

O treinador do Benfica, Fernando Santos, só manteve o brasileiro Luisão, Manú e Simão Sabrosa no time escolhido para disputar o jogo decisivo do torneio, tentando assim poupar o plantel para outros compromissos, principalmente o jogo fora de casa contra o Acadêmica de Coimbra, segunda-feira, pela 15ª rodada do Campeonato Português.

No outro confronto do dia, o Bayern Munique assegurou o terceiro lugar, batendo o Olympique Marselha por 4 a 3.


Jogo

Aos 36min, Fonseca isolou Simão com um toque sutil, mas o goleiro veterano Peruzzi esteve bem na única oportunidade clara de gol dos benfiquistas em todo o primeiro tempo.

Antes do intervalo, os jogadores da Lazio, o quinto colocado na "Série A" italiana, tentaram contrariar o maior domínio do time luso com chutes de meia-distância, como o de Ledesma, aos 38min, mas falharam em todas as tentativas.

Rocchi, aos 17min do segundo tempo, teve uma boa ocasião para inaugurar o placar, mas a finalização, já depois de se livrar da marcação de Luisão, saiu por cima do travessão.

Aproveitando a expulsão do capitão do Lazio, Oddo, aos 39min, o Benfica forçou o ritmo e, em um escanteio cobrado por Paulo Jorge, Mantorras cabeceou forte, mas a bola estourou no travessão do Lázio.

Nos pênaltis, Tare foi o primeiro a permitir a defesa a Moreira, mas Mantorras, logo a seguir, atirou muito por cima do travessão. Os jogadores estiveram melhor que os goleiros até os 4 a 4, mas Moreira voltou a se esticar e defendeu a cobrança de Bonetto.

Contudo, o brasileiro Léo (ex-Santos), a quem bastava marcar para encerrar o campeonato, acertou no travessão e foi Moreira novamente quem defendeu o gol, desta vez cobrado pelo outro goleiro, Ballota, enquanto o "tiro" final coube ao estreante jovem lateral direito do Benfica Pedro Correia.

Agência Lusa/ Adaptado

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Free chat widget @ ShoutMix
pesquisar
 
blogs SAPO