19
Mar 07
A grande Batalha de Badr aconteceu no 17° dia do mês de Ramadan, dois anos após a Hégira. Esta foi a primeira batalha em que os muçulmanos combateram os infiéis e é, até agora, a mais famosa e mais conhecida por causa dos diversos acontecimentos extraordinários que ali ocorreram. O mensageiro de Allah (saw) incentivou os muçulmanos a barrarem uma caravana coraixita que estava voltando a Meca vinda de Sham. Eles partiram com pouco mais de 300 soldados e  não pretendiam lutar, somente subjugá-los. A caravana conseguiu escapar mas Abu Sufyan já tinha mandado uma mensagem aos coraixitas pedindo que viessem protegê-los. Os coraixitas vieram com um exército de 1000 homens,  seiscentos deles usando escudos, 100 cavalos e 700 camelos, e uma grande quantidade de provisões para durar por muitos dias. Os infiéis queriam que esta fosse uma vitória que atemorizasse todos os árabes. Eles queriam acabar com os muçulmanos de uma vez por todas e os números eram esmagadoramente desequilibrados a favor deles. Imaginemos  os fiéis com seu pequeno exército (inclusive com dois cavalos apenas) partindo com a intenção de desafiar um exército bem equipado, "três vezes" maior do que o deles ...

O Mensageiro de Allah (saw) poderia ter facilmente ordenado que os fiéis lutassem e eles não teriam hesitado em cumprir a ordem mas, ele (saw) queria salientar para seus seguidores que eles deveriam lutar com convicção e iman e assim nos ensinar uma lição no processo. Ele reuniu seus seguidores para realizar uma shura (consulta). Muitos muhajirin (os muçulmanos que emigraram de Meca para Medina) falaram, usando as mais eloquentes palavras para descrever sua dedicação. Mas havia um sahabah (companheiro) a quem todos os outros invejavam por sua declaração a Mensageiro de Allah (saw). Ele, Miqdad ibn al Aswad, se levantou diante da multidão e disse "Ó Mensageiro de Allah! Não diremos a você o que Bani Israel disse a Moisés, 'Vá você e seu Senhor, e lute, ficaremos aqui sentados (esperando).' (Surata al-Maeda). Vá com a bênção de Allah e estaremos com você!"   E assim Mensageiro de Allah (saw) ficou muito satisfeito mas, em sua grande sabedoria, ele aguardou silenciosamente e alguns muçulmanos sabiam o que ele pretendia. Até então só os muhajirun tinham dado o seu consentimento, mas eram os ansar (os muçulmanos que viviamem Medina e receberam os muçulmanos em sua cidade) que queriam desistir e não era parte do compromisso (que Mensageiro de Allah tinha feito com os ansar em 'Aqabah) que eles lutassem juntamente com os muçulmanos em território estrangeiro. Assim, o grande líder dos Ansar, Sa'd ibn Mu'adh falou (Ó Mensageiro de Allah! Talvez você queira dizer nós também." Mensageiro de Allah (saw) respondeu afirmativamente. Sa'd então proferiu um belo discurso onde ele, entre outras coisas, disse: "Ó Mensageiro de Allah, nós acreditamos em você e acreditamos que você diz a verdade. Com base nisso, nós lhe demos nosso compromisso para ouvi-lo e obedecê-lo... Por Allah, O que o enviou com a verdade, se você entrar no mar correremos para ele com você e nenhum de nós ficará para trás ... Que Allah lhe mostre em nossas ações o que safisfaça seus olhos. Portanto, marche conosco, colocando nossa confiança nas bênçãos de Allah."

Mensageiro de Allah (saw) ficou muito satisfeito e disse "Adiante e animem-se, porque Allah prometeu a mim um de dois (ou a caravana ou a batalha) e por Allah é como se agora eu visse o inimigo prostrado."

Os muçulmanos marcharam e acamparam o mais próximo da fonte de Badr (próximo a Medina, que fica ao norte de Meca). Um dos companheiros, Al-Hubab ibn Mundhir, perguntou a Mensageiro de Allah (saw), "Allah inspirou você a escolher este lugar ou é uma estratégia de guerra e o resultado da consulta?" Mensageiro de Allah (saw) disse, "É o resultado de uma estratégia de guerra e da consulta." Assim Al-Hubab sugeriu que os muçulmanos acampassem mais ao sul, perto do poço d'água, fizessem uma banheira de água para eles e destruíssem os outros poços para limitar o acesso dos coraixitas à água. Mensageiro de Allah (saw) aprovou seu plano e o cumpriu (*) Então, Sa'b ibn Mu'adh sugeriu que fosse construída uma cerca ou uma barraca para Mensageiro de Allah (saw) como uma proteção para ele e para servir como quartel-general para o exército. Mensageiro de Allah (saw) e Abu Bakr ficaram na barraca enquanto Sa'd ibn Mu'adh e um grupo de seus homens a guardavam. Mensageiro de Allah (saw) passou toda a noite que precedeu a batalha em oração e súplica, ainda que soubesse que Allah (swt) lhe tivesse garantido a vitória. Foi por causa de seu amor, adoração e submissão a Allah (swt) que ele fez isto. E diz que esta é a forma mais elevada de 'ibadah, conhecida como "'ain al yaqin", um estado de completa dependência e submissão a Allah (swt), que o diferenciava (em superioridade) de Abu Bakr As siddiq (ra) que somente possuía "'ilm alyaqin", a certeza da promessa.

Excepcionalmente, naquela mesma noite, a noite quando as tensões deveriam estar elevadas por causa de um dos maiores acontecimentos da história, a noite anterior à batalha que poderia significar o avanço ou a derrota do Islam, em lugar de estarem nervosos, preocupados ou insones, os muçulmanos usufruíram de um sono reparador. Aquela era a noite de 17 de Ramadan, do ano 2 da Hégira. Esta foi uma bênção divina a que Allah Se referiu no Alcorão:

"E de quando Ele,para vosso sossego,vosenvolveu num sono,enviou-vos água do céu para,com ela,vos purificardes, livrardes da imundície de Satanás, e para confortardes os vossos corações e afirmardes os vossos passos." (8:11)

Asegunda bênção de Allah (swt) citada neste versículo é a chuva que Ele enviou para os fiéis naquela noite. O lugar onde os muçulmanos estavam acampados era arenoso, difícil de caminhar porque os pés podiam afundar facilmente. Allah (swt) enviou a chuva para tornar o solo firme e enviou o sono para fazer com seus corações ficassem firmes. No dia seguinte, Mensageiro de Allah (saw) ainda dormia quando os coraixitas vinham se aproximando. Abu Bakr (ra) hesitou em acordar o nobre Mensageiro (saw) mas foi forçado a fazê-lo porque os coraixitas aproximavam rapidamente. Os muçulmanos estavam enfileirados. Quando os contendores ficaram próximos e eram visíveis uns para os outros, Mensageiro de Allah começou a suplicar, "Ó Allah! Os coraixitas vaidosos e arrogantes já estão aqui e Te desafiam e desmentem Teu Mensageiro. Ó Allah! Espero pela vitória que Tu me prometestes. Rogo a Ti, Allah, que os derrote." Ele (saw) deu ordens estritas para que seus homens não iniciassem a luta até que ele lhes desse a palavra final. Ele recomendou que eles usassem suas setas com parcimônia (1) e que não as disparassem a não ser que os inimigos ficassem muito perto.(2) Os coraixitas estavam confiantes e arrogantes por causa de sua superioridade numérica, de armas e provisões, mas é Allah (swt) quem decide as questões:

"(Ó incrédulos) se imploráveis a vitória, eis a vitória que vos foi dada; se desistirdes, será melhor para vós; porém,se reincidirdes,voltaremos a vos combater e de nada servirá o vosso exército, por numeroso que seja, porque Allah está com os fiéis." (8:19)

Abatalha começou com um confronto entre três homens de cada lado:

- Hamza (tio de Mensageiro de Allah) contra 'Utbah ibn Rabi'a
- Ali (primo de Mensageiro de Allah) contra Al-Walid ibn 'utbah
- 'Ubaidah ibn al Haraith contra Shaybah ibn Rabi'a.

Nos dois primeiros confrontos, Hamza e Ali mataram seus oponentes, mas 'Ubaidah (apesar de matar seu oponente) foi gravemente ferido e morrou quatro ou cinco dias mais tarde. A luta se intensificou e houve vários outros duelos. No de tudo isto, Mensageiro de Allah (saw) continuava a suplicar a seu Senhor. Ele (saw) disse, "Ó Allah! Se este grupo (de muçulmanos) for derrotado hoje, Tu nunca mais sereis adorado." Abu Bakr testemunhou esta súplica contínua e disse a Mensageiro de Allah (saw) "Ó Mensageiro de Allah, você pediu tão alto que seu Senhor certamente cumprirá o que lhe prometeu."

A resposta de Allah (swt) foi imediata.Ele enviou dois anjos dos céus para ajudar Mensageiro de Allah (saw) e seus companheiros. O Alcorão assinala este acontecimento milagroso:

"Reforçar-vos-ei com mil anjos, que vos chegarão paulatinamente." (8:9)

Mensageiro de Allah (saw), em sua barraca, adormeceu por um instante e em seguida levantou sua cabeça alegremente gritando "Ó Abu Bakr! Boas notícias. A vitória de Allah se aproxima. Por Allah, eu vi Jibril montado em sua égua em meio a uma tempestade de areia." Então ele saiu da barraca e disse: ""sayuhzamul jam’u wa yuwwalloonad-dubur" (Alcorão 54:45). (Logo a multidão será posta a correr e debandará)

Na verdade, este é um dos milagres do Alcorão porque este versículo foi revelado em Meca antes de que os eventos de Badr acontecessem. Omar (ra), ao ouvir Mensageiro de Allah (saw) revelar este versículo disse na ocasião, "Quando este versículo foi revelado, perguntei a Mensageiro de Allah qual o seu significado. Que multidão? Que derrota? E Mensageiro de Allah (saw) não me respondeu. Mas quando eu o vi recitar naquela ocasião, eu então compreendi. Então, Mensageiro de Allah (saw) pegou um punhado de areia, jogou no inimigo e disse: "Que a confusão se apodere de seus rostos"

Quando ele atirou a poeira uma violenta tempestade de areia se espalhou como uma rajada quente nos olhos do inimigo. Sobre isto, diz Allah: "Vós não os aniquilastes, (ó muçulmanos)! Foi Allah quem os aniquilou e apesar de seres tu (ó Mensageiro) quem lançou (a areia), o efeito foi causado por Allah." (8:17) Foi neste momento que Mensageiro de Allah (saw) deu a ordem para iniciar um contra-ataque total. Ele estimulou os fiéis recitando o seguinte versículo: "Emulai-vos em obter a indulgência de vosso Senhor e um Paraíso, cuja amplitude é igual à dos céus e da terra." (3:133)

O moral dos muçulmanos estava no auge e eles lutaram com extrema coragem e bravura, ferindo gravemente o exército coraixita,matando muitos de seus homens e infundindo temor em seus corações. Os muçulmanos não sabiam que o socorro de Allah tinha acabado de chegar para eles.A única coisa que sabiam eram os números desproporcionais entre os exércitos: 1000 contra 300, 700 camelos contra 70, 100 cavalos contra 2, grandes provisões contra nenhuma, uma preparação para a guerra contra um grupo de fiéis despreparados. Mas, apesar de todos esses números, eles confiavam em Allah (swt) e em Seu Mensageiro e queriam, e até esperavam, dar suas vidas deste mundo (dunya) em troca da morada eterna no Jannah. Por causa de sua devoção, Allah (swt) enviou Seu socorro e a vitória.

Além de enviar os anjos, Allah (swt) também realizou um outro milagre para assegurar a vitória dos muçulmanos. Diz Allah: "Recorda-te (ó Mensageiro) de quando, em sonhos, Allah te fez crer (o exército inimigo) em número reduzido, porque, se te tivesse feito vê-lo numeroso, terias desanimado e terias vacilado a respeito do assunto. Porém, Allah (te) salvou deles, porque bem conhece as intimidades dos corações." (8:43)

E realmente, Allah (swt) cumpriu Sua promessa: "E de quando os enfrentastes, e Ele os fez parecer, aos vossos olhos, pouco numerosos; Ele vos dissimulou aos olhos deles, para que se cumprisse a decisão prescrita, porque a Allah retornarão todas as questões." 8:44)

Muitos infiéis foram mortos nesta batalha, sendo o mais conhecido Abu Jahl, um arquinimigo do Islam. Quando Mensageiro de Allah (saw) saiu para olhar seu cadáver, ele (saw) disse "Este é o faraó dest nação." E assim os muçulmanosvenceram os infiéis, impondo-lhes uma derrota humilhante com a ajuda de Allah (swt).Realmente, mais uma vez Allah cumpriu Sua promessa, "Logo a multidão será posta a correr e debandará." (54:45) Os infiéis, com todo o seu poder se voltaram e fugiram dos muçulmanos em desgraça e humilhação exterma. Allahu Akbar wa lillah al Hamd.

(*) No livro do Dr. al Sibai, shaykh Jamal Zarabozo diz que esta estória não foi narrada de cadeias autênticas, embora seja mencionado em muitos livros famosos de sirah (de autores confiáveis), que se calaram a respeito de sua autenticidade. Allahu a'lam.

[1] Sahih al-Bukhari, 2/568

[2] Abu Daud, 2/13

 

www.islamemlinha.com


05
Mar 07

O crime dos judeus contra Jesus (que a Paz esteja sobre ele), privou-os das graças e benesses de Deus. Jesus (que a Paz esteja sobre ele), disse-lhes que depois dele não apareceria nenhum outro profeta entre eles e que a Reino de Deus lhes seria tirado e dado a uma nação mais digna dele.

Anunciou também que a pedra que os construtores haviam rejeitado, ela mesma havia sido escolhida por Deus para tornar-se à pedra fundamental. Querendo com isso dizer que os filhos de Ismael (que a Paz esteja sobre ele), aos quais os filhos de Israel haviam rejeitado e despojado, haviam sido Escolhidos por Deus para a sua maior graça, o Profeta Universal apareceria entre os Ismaelitas, e Jesus (que a Paz esteja sobre ele), profetizou a vinda dele em termos bastante resolutos:  

"Ainda tenho muitas coisas para vos dizer, mas não podeis atualmente capazes de suportá-las. No entanto, quando esse chegar, o espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade." (João 16: 12-13)  

''Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós;... E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.'' (João 16:7 e 8)

''E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre. O Espírito da verdade....'' (João 14:16 e 17)

''Tenho-vos dito isto, estando convosco. Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará...,  esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.'' (João 14:25 e 26)

Em um Evangelho não canônico, o de São Barnabé, Jesus (que a Paz esteja sobre ele), menciona o espírito da verdade ou o Consolador, o Profeta que viria depois dele para ensinar ao mundo ‘’toda a verdade’’, que assim transcrevemos:  

Então disse o sacerdote:’’ Como se chamará o Consolador, e que sinais revelarão a vinda dele?’’ Jesus respondeu: ‘’O nome do Consolador é Admirável, pois Deus leu-lhe um nome quando criou a sua alma, e a colocou em Esplendor Celeste. Deus disse: Espere Muhammad, por ti Eu criarei o paraíso, o mundo e um grande número de criaturas, e tudo dar-te-ei de presente, de maneira a que todo aquele que te abençoar será abençoado, e aquele que te amaldiçoar será amaldiçoado. Quando Eu te enviar ao mundo, Eu te enviarei como Meu Mensageiro da salvação, e tuas palavras serão verdadeiras, e mesmo depois que os céus e a terra tenham passado, a tua fé jamais passará. Muhammad é o nome abençoado dele.’’ E a multidão levantou a voz em coro clamando: ‘’Ó Deus, envia-nos Teu Mensageiro. Ó Muhammad, venha depressa para a salvação do mundo.’’ (9)

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
blogs SAPO