27
Abr 08
O Imam Ibn al-Salah al-Shahrazuri escreve no seu famoso Muqaddamah:

"Alguém que perde o seu tempo tentanto estudar com muitos professores somente para adquirir reputação de ter tido imensos professores e a fama que daí advém, não será bem sucedido.
As palavras de Ibn Hatim al-Razi não se referem a isto; que são, "Quando escreves um hadith, "pega" em tudo. Quando o transmites, sê selectivo"

[Muqaddamah Ibn Salah]


18
Abr 08
A palavra Islão, significa literalmente, obediência a Deus. Então, acreditar em Deus é a primeira base da fé islâmica, pois o ser humano deve acreditar em Deus para o obedecer. Porém, o Homem não pode ser obediente a não ser que saiba a quem ser obediente e como sê-lo. Isto parece muito confuso e complicado, mas de facto não o é. Vejamos um exemplo: Um servidor não pode servir o seu Mestre a não ser que aquele saiba algumas "bases" do Mestre para O poder identificar e seguir as suas ordens.

Toda a humanidade está, desde à nascença, tendenciada para acreditar na existência de Deus, e na sua unicidade e perfeição. Ele é o criador de tudo na terra e nos céus. Ele legisla e de certo modo sustenta o Universo e não existe ninguém, que consiga fazer o que ele faz. Ele não é um génio malígno como muitos afirmaram e afirmam, pois ele não engana, ele é PERFEITO. Ele deu ao universo um completo código de vida:

"Glorificado seja Quem criou pares de todas as espécies, tanto naquilo que a terra produz como no que eles mesmos geram, e ainda mais o que ignoram. E também é sinal, para eles, a noite, da qual retiramos o dia, e ei-los mergulhados nas trevas! E o sol, que segue o seu curso até um local determinado. Tal é o decreto do Onisciente, Poderosíssimo. E a lua, cujo curso assinalamos em fases, até que se apresente como um ramo seco de tamareira. Não é dado ao sol alcançar a lua; cada qual gira em sua órbita; nem a noite, ultrapassar o dia." (Ya-sin 36:36 a 36:40, tradução Myciw.org )

Será que nós podemos ter a percepção da sua existência? De acordo com o conhecimento que foi transmitido pelo Profeta Muhammad (SAW-Que a paz esteja com ele) e pelos seus companheiros (que Allah os tenha), aos seus sucessores e a todos os outros muçulmanos (que Allah os mantenha em paz a todos), Deus pode ser percebido pela Humanidade através das suas qualidades divinas e pelos seus atributos também divinos.

As Suas qualidades divinas são:

1. Ele é o Opmipresente
2. Ele é o "Eterno"
3. Ele é o Incessante
4. Ele é Único
5. Ele é diferente daqueles que criou (nós, seres imperfeitos; os animais; o mundo)
6. Ele é Sustenta-se a si próprio

Os seus atributos são:

1. Ele é o Omnisciente
2. Ele é o que tudo Ouve
3. Ele é aquele que tudo Vê
4. A sua vontade é absoluta
5. Ele é Omnipotente
6. A sua língua é única
7. Ele é o criador de todas as coisas

Esta é a descrição do Criador, uma descrição explicada por Ele mesmo ao seu Sagrado Mensageiro, Muhammad (que a paz esteja com ele). E pela Sua sensatez, Razão e Conhecimento, o Homem consegue percepcionar Deus, pela observação e contemplação de inúmeros sinais.
Mas a intelectualidade e capacidade do Homem não está livre de dificuldade e certamente não está livre de errar. Deus, na sua misericórdia, diminuiu a dificuldade os seus Servidores enviando o "Homem entre eles", que transmitiu o verdadeiro conhecimento Dele e das Suas Divinas Qualidades e Atributos. Um companheiro do Profeta (que a paz esteja com ele) disse que Abu Said Al-Khudri narrou:

"Um homem ouviu outro a recitar(nas suas orações): "Disse (Ó Muhammad): "Ele é Allah, o Único "(112.1) E ele recitou repetidamente esse verso do Alcorão. Quando era de manhã, ele foi ter com o Profeta e informou-o que considerava a recitação do Surah insuficiente. Muhammad (SAW- Que a paz esteja com ele) disse, "Por Ele, que a minha vida está nas suas mãos, (esse Surah) é igual a um terço do Alcorão Sagrado."

Vejamos a imensidade e o poder dado a uma passagem sobre o Omnisciente, no Alcorão.

Que Allah dê Hidayat a todos vós e que tenham Fé em Deus.

Salams
islamnet.eu

02
Jul 07
Salams,
Este vídeo, basicamente em áudio, é um discuros bastante interessante em inglês com uma mesagem a todos os muçulmanos e não muçulmanos acerca do tema "Quem é Deus?". Ele dá exemplos bastante interessantes e fantasticamente coloca-nos a pensar após os seus 20 minutos de discurso. Por isso, oiçam até ao fim!
Discuta este tópico em:
http://merajnet.16.forumer.com/viewtopic.php?t=1171

01
Jul 07
Salams, e como prometido, mais um wallpaper:
discuta o assunto aqui:
http://merajnet.16.forumer.com/viewtopic.php?t=1166

24
Jun 07
Salams,

E já que estamos numa "onda" de ficheiros PDF, resolvi trazer-vos um com alguns duás (preces) bastante importantes no dia a dia de um muçulmano.



Download Aqui

13
Mai 07

    Antes do advento do Islam, Abu Bakr R.A era conhecido como um homem de carácter correcto e de natureza afável e compassivo, por toda a sua vida ele foi sensível ao sofrimento humano e gentil com os pobres e necessitados mesmo sendo rico, viveu muito simplesmente e usava o seu dinheiro para a caridade, libertação de escravos e pela causa do Islam, era comum passar noites em súplicas e orações.


    Este era o homem sobre quem o peso da liderança caiu, no período mais sensível da história dos muçulmanos, assim que a notícia da morte do Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejam com ele), se espalhou, numerosas tribos se rebelaram e se recusaram a pagar o Zakat, alegando que ele era devido somente ao Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejam com ele).


    Ao mesmo tempo, começaram a surgir numerosos impostores, alegando que a condição de profeta tinha passado para eles, além disso, o Império Romano do Oriente e o Império Persa começaram a ameaçar o recém-nascido estado islâmico de Madina.


    Diante de tais circunstâncias, muitos companheiros do Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejam com ele), inclusive Umar, aconselharam Abu Bakr R.A a fazer concessões aos sonegadores do Zakat, pelo menos uma vez.


    O novo califa não concordou, ele insistia em que era uma lei divina que não podia ser desrespeitada, que não havia diferença entre as obrigações do Zakat e o Salat e que qualquer acordo com as injunções de Deus acabariam por corromper as bases do Islam.


    As tribos revoltosas atacaram Madina mas os muçulmanos estavam preparados, o próprio Abu Bakr R.A. liderou um ataque que os forçou a  recuarem, a seguir, declarou uma guerra implacável contra aqueles que se autoproclamavam profetas e ao final, muitos se submeteram e retornaram ao Islam.


    A ameaça do Império Romano na verdade tinha começado mais cedo, com o Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejam com ele), ainda vivo, o Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejam com ele), tinha organizado um exército liderado por Usama, filho de um liberto.


    O exército não foi muito longe porque o Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejam com ele), ficou doente, após a morte dele, a questão apresentada era se o exército deveria prosseguir ou ficar para defender a cidade de Madina. Mais uma vez, Abu Bakr R.A. mostrou uma firme determinação, ele disse:


"Enviarei o exército de Usama da forma como o Profeta ordenou, ainda que eu fique sozinho."


    As instruções finais dadas a Usamah prescreviam um código de conduta de guerra que permanece até os dias de hoje:


    "Não desertem nem desobedeçam. Não matem um velho, uma mulher ou uma criança. Não maltrate as palmeiras nem derrubem as árvores. Não matem carneiros e vacas ou camelos, a não ser para o alimento. Vocês encontrarão pessoas que passam a vida em monastérios. Deixai-as em paz e não as molestem.''


    Em diversas ocasiões, Khalid bin Walid tinha sido escolhido pelo Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejam com ele), para chefiar os exércitos, homem de grande coragem e nascido para chefiar, seu génio militar acabou por se destacar durante o califado de Abu Bakr R.A., quando liderou suas tropas alcançando diversas vitórias sobre os romanos, uma outra contribuição de Abu Bakr R.A. para a causa do Islam foi a colecção e compilação dos versículos do Alcorão Sagrado.


    Abu Bakr (que Deus esteja satisfeito com ele) morreu no ano de 634 d.C, com a idade de 63 anos, e foi enterrado ao lado do Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejam com ele),  o seu califado teve a duração de 27 meses mas, sob seu comando, a comunidade e o estado islâmico foram consolidados.


    Disse o Profeta Muhammadsaws2.gif (1107 bytes) (que a Paz e a Bênção de Deus estejamcom ele), sobre Abu bakr R.A :

"Se eu tivesse que ter um amigo além do meu Senhor, esse alguém seria Abu Bakr"

Adaptado de: www.islamemlinha.com


01
Mai 07
Berna, a capital da Suíça, poderá sediar o maior centro cultural e econômico islâmico da Europa se um projeto de associações locais de muçulmanos for aprovado, informaram seus organizadores nesta segunda-feira.

A denominada "plataforma para o Islã", de 23 mil metros quadrados, incluiria um centro de convenções, um hotel quatro estrelas, escritórios e uma mesquita, explicou Farhad Afshar, professor da Universidade de Berna e porta-voz das organizações islâmicas envolvidas no projeto.

"Queremos mostrar a riqueza da cultura islâmica na Suíça, apresentando suas muitas facetas", explicou Afshar. "Os escritórios poderiam abrigar companhias de comércio para negociar com nações islâmicas", acrescentou.

Marco Ryter, arquiteto suíço encarregado do estudo de viabilidade do projeto, estimou o custo da obra entre 60 milhões e 80 milhões de francos suíços (de US$ 50 milhões a US$ 66 milhões).

Segundo Afshar, o centro poderia ser financiado por fundos de pensão ou investidores privados e uma fundação estabelecida na Suíça.

A área destinada ao centro é parte de uma região de 34 hectares, situada no limite norte de Berna, que está sendo redesenhada e onde as autoridades municipais estudam uma variedade de projetos de construção.

Segundo estatísticas oficiais, na população de 7,5 milhões de suíços há cerca de 311 mil muçulmanos, a maioria originária dos Bálcãs.

24
Abr 07
Há muitos anos, um Imám mudou-se para Londres. Nesta cidade, sempre
>>que queria deslocar-se de casa para a mesquita, ele pegava um táxi.
>>
>>Passado algumas semanas, teve a ocasião de pegar o mesmo táxi.
>>
>>Depois de sentar-se, lembrou-se que na ocasião anterior, o
>>motorista deu-lhe, acidentalmente, 50 centavos a mais no troco.
>>
>>Enquanto decidia o que fazer com o dinheiro, pensou: “É melhor eu
>>devolver os 50 centavos, pois não é correto mantê-los comigo”.
>>
>>Depois pensou: “Ah! São só 50 centavos. Quem irá se preocupar com
>>esta quantia insignificante? De qualquer modo, a empresa de táxi
>>tem muitos outros bilhetes e nunca sentirá a falta desta pequena
>>quantia. Acho que devo aceitá-la como uma dádiva de Allah e ficar
>>quieto”.
>>
>>Mas quando chegou ao local de destino, o Imám parou momentaneamente
>>na porta do táxi, tirou os 50 centavos e devolveu-os ao motorista,
>>dizendo:
>>
>>“Eis aqui o troco que me deste a mais noutro dia”.
>>
>>O motorista respondeu com um sorriso:
>>
>>“Tu não és o líder da mesquita muçulmana? É que ultimamente venho
>>sentindo em meu coração o desejo de visitá-lo em tua mesquita e
>>pedir que me ensine a tua religião, só que antes eu queria saber o
>>que tu farias se eu te desse algum valor que não te pertence”.
>>
>>Quando o Imám desceu do táxi, os seus joelhos se enfraqueceram e
>>mal conseguia ficar de pé.
>>
>>Teve que alcançar um poste a fim de se apoiar.
>>
>>Depois, olhou para o céu e chorou dizendo: “Ó Allah! Hoje eu quase
>>vendi o Islam por apenas 50 centavos!”.
>>
>>PS: Muitas vezes, não percebemos o impacto que as nossas ações
>>podem causar. Às vezes, nós representamos o único conhecimento do
>>Qur’án que as pessoas “lêem” ou o único muçulmano que os
>>não-muçulmanos vêem.
>>
>>O que devemos providenciar, Inshá-Allah, é um exemplo correto que
>>os outros possam ver em nós.
>>
>>Por isso, devemos ter todo o cuidado e sermos honestos a todo o
>>momento, porque nunca sabemos quem está a reparar nas nossas ações.

     O Homem não é somente mortal, mas também erra. Tempo, espaço e experiência, também, limitam seu conhecimento e poder de julgamento. Ele não controla o seu próprio nascer ou morte. Ele não pode, nem mesmo ver o que está atrás de uma parede ou em seu futuro.

    Ele nasce com inteligência sobre sua livre vontade, sendo responsável por suas próprias atitudes no decorrer de sua vida. O afortunado beneficia-se do conhecimento e orientação, mas outros se encontram mergulhados na escuridão e miséria.


    A orientação pode vir do próprio homem ou ser de nível metafísico. A orientação de um homem de limitados poderes ou recursos em seu conhecimento é por si mesma limitada e imperfeita. Só a orientação de um poder eterno soberano é segura e verdadeira.

    Deus, o Soberano, guia o homem através de Seus Profetas e Livros para o benefício de todo o gênero humano. O homem deve aprender sobre estes Profetas e a mensagem por eles trazida, para saber sobre a Verdade e os modos de praticá-la. Esta é a orientação divina e eterna que se contrapõe à orientação do mortal e limitado ser humano.

    Os profetas são homens mortais, que são inspirados por revelações divinas, estas lhes são enviadas pelo próprio comando divino em idades diferentes, lugares e para diferentes indivíduos, como sinal de amor e misericórdia com todas as criaturas.

Seguramente livros e profetas foram enviados a pessoas na Ásia, África, Europa, América e todos os outros povos, mas foram perdidas ou corromperam-se em nossa história nestes milhares de anos em que se conta a existência humana sobre o planeta.

    Esta orientação passou pelo primeiro profeta e homem, Adão, continuou por Noé, Abraão, Moisés, Davi, Jesus e Muhammad (que a paz de Deus esteja sobre eles) e, também, por muitos outros profetas, no entanto, por nós desconhecidos.

Mas a mensagem de orientação de forma final e completa, a todo o gênero humano, constituiu-se através de Muhammad (que as bênçãos e a paz de Allah estejam sobre ele), o último profeta, em um último livro final, preservado e não corrompido, o Sagrado Alcorão.

IslamNet

18
Abr 07

    Nós, os seres humanos, habitamos o planeta Terra, que é um dos nove planetas no nosso sistema solar. Há muitos outros sistemas semelhantes em todo o universo. Quantos sistemas, planetas e luas há no universo, embora o homem ainda não o saiba? Ele nem mesmo sabe com certeza quando o próprio tempo começou ou quando terminará.


    Pode haver um fim sem um começo ou pode haver um efeito sem uma causa? O Universo - com homens, animais, pássaros, minerais, vegetais, planetas, estrelas, galáxias e outros objectos - pode estar correndo de acordo com uma harmonia exacta, e pode ter sido ordenado sem um Controlador ou Mestre? Pode haver um exército sem um Comandante supremo ou uma escola sem um Director?


    A única fonte ou poder para todas estas coisas não pode ser simplesmente um vazio ou acidente. Até mesmo o acidente precisa de uma causa ou razão. Esta causa que remonta a todas as outras causas, a motor de todos os motores, o poder de todos os poderes não é nada mais que o Soberano. As Pessoas chamam-no por muitos nomes: Deus, espírito, natureza, Jeová, Bhagavan ou Allah, mas Ele é o Único e Último, Allah apenas.


    O nome ou substantivo Allah é muito preciso, não tem género, plural ou colectivo. Allah em árabe e aramaico representa o Soberano. Ele é Quem criou e deu origem a tudo o que vê ou sente ao seu redor, seja isto animado ou inanimado, morto ou vivo, grande ou pequeno.


    Nada é eterno ou permanente com excepção d'Ele. Nós não podemos perceber o quanto Ele é infinito, que Ele, também, criou o tempo e espaço, e não foi controlado por Sua própria criação. Ele criou tudo ao nosso redor para disso dispormos, no entanto, não devemos abusar ou utilizar-nos tudo isso de maneira errónea, como Ele é Amável e Benevolente!!!


1. Tudo quanto existe nos céus e na terra glorifica Deus, porque Ele é o Poderoso, o Prudentíssimo.
2.  Seu é o reino dos céus e da terra; dá a vida e dá a morte, e é Omnipotente.
3. Ele é o Primeiro e o Último; o Visível e o Invisível, e é Omnisciente.
4. Ele foi Quem criou os céus e a terra, em seis dias; então, elevou-se sobre o trono. Ele bem conhece o que penetra na terra e tudo quanto dela sai; o que desce do céu e tudo quanto a ele ascende, e está convosco onde quer que estejais, e bem vê tudo quanto fazeis.
(57:1-4)

1. Dize: Ele é Deus, o Único!
2. Deus! O Absoluto!
3. Jamais gerou ou foi gerado!
4. E ninguém é comparável a Ele!
(112:1-4)

 

IslamNet

IslamEmLinha


Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
blogs SAPO