02
Set 08

Salams,

 

E assim temos o nosso trabalho concluído. Podem visitar-nos em islamnet.eu, o novo blog, com um novo design e um novo logotipo, com uma nova plataforma que nos vai permitir evoluir muito mais do que pensamos.

 

Não há muito a dizer, simplesmente visitem-nos em islamnet.eu

 

Salams

publicado por mh às 14:51

10
Ago 08

Salams. Eu não tenho a noção data do vídeo abaixo, mas creio que não seja muito antigo, todavia o que interessa é a mensagem contida nele.

Quem não conhece Muhammad Ali? Quem não conhece o que ele representou? Quem é que não sabe as razões pelas quais converteu-se ao islão? Acho que todos sabem disto, todos sabem a história do "herói" que foi Muhammad Ali.

 

Neste vídeo, Will Smith e Muhammad Ali vêm condenar os atentados de 11 de Setembro, mas ao mesmo tempo mostrar que o Islão é uma religião de Paz e que os terroristas de 11 de Setembro nunca representaram o Islão, muito pelo contrário.

 

 


29
Jun 08

صديق الانسان من يسعى لعمارة آخرته وإن كان

فيه ورع لدنياه
-عدو الإنسان من يسعى لخسيرة آخرته وإن كان

فيه نفع لدنياه

 

"O amigo dos humanos é aquele que constrói e esforça-se para construir o seu Akhirah mesmo que isso implique e prejudique o seu Duniya;

O inimigo dos humanos é aquele destroi o seu AKhirah se isso beneficiar o seu Dunya"

 

- Hadhrat Mufti Abdur Rahim Lajpuri (rahimullah ta’ala)

Fonte: At-Tazkirah

 

Salams. É com esta passagem que vos quero lembrar a importância do Dunya. e do Akhirah Mas, para quem não sabe o que siginifca Dunya e Akhirah?

 

O Dunya é a vida actual, a vida na terra e no mundo, a vida que temos antes da morte e exprime tudo o que é de material na vida. O Akhirah refere-se à vida após a morte, ao paraíso ou ao inferno. É constantemente referido no Alcorão lembrando o Dia do Julgamento (o Qiyamah).

 

A pergunta é: O que devemos priveligiar? O Dunya? O Akhirah? A vida que terminará e na qual não deixaremos nada e partiremos sem levar coisa alguma? Ou a vida após a morte, a vida eterna que irá ser valorizada pelas acções que fazêmos aqui no Dunya?

 

 

Devemos trabalhar para ficarmos ricos monetariamente ou para ficarmos ricos em Ilm (conhecimento religioso)? Devemos pecar e desvalorizar as orações (o Salah) visto que com isto eu não ficarei mais rico ou mais probre aqui no Dunya ou devemos preservar a nossa inegridade e não pecarmos e aumentar o nosso número de sawabs em termos de orações? Pois é isso que vai servir na nossa eterna vida após a morte e não a nossa riqueza monetária..

 

Pensem bem, decidam agora antes que seja tarde de mais...

 

Salams

 


23
Mai 08

Salams.

 

Tem sido gerada uma grande confusão em torno da Reforma dos Hadices, se deve ser feita, quais as suas razões/fundamentos, e qual o objectivo. Pois muitos afirmam que se baseia unicamente em razões políticas.

Todavia a primeira coisa que vos recomendo, é lerem ese tópico de Yussuf Adamgy, membro da MyCiw, que escreveu um artigo sobre a Sunnah, os Hadices e a forma de  propagação da Sunnah.

 

http://myciw.org/modules.php?name=Forums&file=viewtopic&p=12132#12132

 

Salams

Islamnet

publicado por mymuslim às 22:11

18
Mai 08

Como todos nós sabemos, o número de mortos na antiga Birmânia, continua a aumentar, e nós, países exteriores, pouco ou nada podemos fazer, já que as autoridades de Myanmar, não deixam que entrar no seu país ajuda humanitária. Por enquanto, podemos apenas continuar a reunir fundos, até que as portas desse país se abram à ajuda externa, que é o que todos n´so desejamos que aconteça o mais cedo possível. Inshallah.

 

O Correio da Manhã, escreve:

 

"As vítimas mortais do ciclone Nargis, que assolou o Myanmar há duas semanas, rondam agora as 77.738, sendo 55.917 os desaparecidos e 19.359 os feridos. É este o novo balanço provisório do governo birmanês, anunciado, na sexta-feira, pela televisão estatal do país, balanço que se aproxima das previsões internacionais de 100 mil mortos.

Nos últimos dias, as Nações Unidas e vários diplomatas ocidentais referem a existência de mais de 100 mil mortos. O secretário de Estado britânico, Douglas Alexander chegou mesmo a falar de 200 mil, com base em dados recolhidos no terreno por organizações não-governamentais.

 

A Junta Militar permitiu que um grupo de diplomatas se desloque amanhã a algumas das zonas afectadas. Este grupo irá apelar, mais uma vez, para que seja permitida a entrada de pessoal humanitário, banido pelo país, que diz não querer 'intromissões' nos seus assuntos internos."

 

Assim sendo, torna-se pertinente a reunião de todos os fundos possíveis e de toda a ajuda voluntária no terreno.

Eu recebi um e-mail da MuslimAid, que pede ajuda para esta causa!

 

 

Salams. Islamnet


14
Mai 08
Hazrat Ibn Abbaas (RA) conta  que Rasulullah (Sallaho Alaihe Wassallam) disse olhando para Mackhah:

"Mas que fantástica cidade Tu és e como eu Tem amo. Que a minha gente não me force a sair de ti, Eu nunca conseguiria fixar-me em qualquer outra cidade excepto em Ti".

(Tirmidhi)

Como resultado deste e doutros Hadiths, a maioria dos Ulamas acreditam que Mackah é a mais virtuosa de todas as cidades, e estar lá permanentemente ou até temporariamente é mais virtuoso ainda. Quem não gostaria de viver lá, sabendo que um Salaat é recompensado 100 vezes mais? Apesar de tudo isto muitos dos Santos muçulmanos não defenderam residência em Makkah (mais do que o necessário).

Hazrat Mullah Ali Qari (RA) escreveu que de acordo com Hazrat Imaam Muhammad (RA) e Hazrat Imaam Abu Yousuf (RA) é Mustahab (recomendado) aceitar residência permanente em Mackah. Este também é o fatwa dos Hanafis, e coincide com os decretos de alguns imams Shaafie e Hambali. Contudo Hazrat Imaam Abu Hanifa (RA) e Hazrat Imaam Maalik (RA) consideram a residência em Mackah Makroobh (não recomendável). Esta perspectiva é apoiada por aqueles que tinham uma atitude calma  e grande sabedoria, temendo que vivendo em Mackah podia tornar-se cansativo, perdendo-se a dignidade e honra de Mackah e da peregrinação. Isto levaria à indiferença que conduziria ao pecado. Tal como as boas acções são tornadas fantásticas em termos de sawab, o mesmo acontece com as más acções.

Para aqueles que são sinceros, que evitam pecar, não existe melhor sítio na terra para se viver que Mackah. Infelizmente esses existem em pouco número nos dias de hoje. São tão poucos como os Reis entre os homens. Muitos são aqueles que reivindicam estar aptos para a dignidade e honra que Mackah requere. É muito fácil falar mas é difícial cumprir.

Mullah Ali Qari diz que ‘Hazrat Imaam Abu Hanifa (RA) não gostava da residência permanente em Mackah, tendo em consideração a condição religiosa da população naquele tempo. Logo, se ele estivesse vivo hoje, teria considerado viver em Mackah totalmente Haram.  Este Mulla Ali Qari é um dos grandes Ulamas do Islão e faleceu no ano 1014 de Hégira. Ele escreveu aquilo acima sobre o seu tempo e nós agora estamos já no 15º século depois de Hégira. Vejamos como as condições se detrioraram não precisando sequer de um comentário. Está à vista de todos, não podemos negar. Mas então...que diria ele hoje?

Hazrat Imaam Ghazali (RA) explica que existem três razões pelas quais alguns Ulamas chamam Makroobh viver permanentemente em Mackah:

1. Eles teme que o excesso de contacto e familiaridade, esse grande desejo,  entusiasmo e zelo por Kabah vais descer ( e a familiariade pode passar a desprezo).

2. Eles temem que a triste altura de se despedir do Kabah e o zelo por um retorno desaparecerá. Por isso alguns "mais superiores" dizem que é muito melhor ansiar um retorno a Mackah estando noutra cidade, até a mais longínqua do mundo, do que viver em Mackah.

3. Eles temem que pecados sejam cometidos,  o que é um grande pecado chamar pela fúria de Allah Subahanah wa Taala. É um facto que Mackha é uma cidade abençoada. Toda a pedra e toda a areia é abençoada.
 
Nós já mencionámos esses espaços de bençãoes especiais. Agora, existem alguns mais ainda que devem ter a nossa atenção:
 
1. Primeiramente existe um espaço que costumava ser a casa de Hazrat Khadija (RA); e onde Hazrat Fatima Zahraa (RA) nasceu; e onde todos os filhos do nosso Rassul (Sallalaho Aleihe wa Salam) nasceram excepto Hazrat Ibrahim A.S. Os Ulamas são da opinião de que depois da Sagrada Mesquita, este espaço é o mais virtuoso em Mackah.
 
2. Depois vem o lugar conhecido como Mowlidun Nabi, onde o nosso Rassul (Salallaho Aleihe wa Salam) nasceu.
 
3. As casas de Hazrat Abu Bakr (RA) conhecidas como Darul hijrat de onde a viajem até Madinah teve lugar. Antes de Hijrat, O nosso Rassul (Sallalaho Aleihe wa Salam) costumava cá vir quase todos os dias. Haviam duas pedras aí, uma chamada "Mutakallim", que fazia Salaam ao profeta e outra chamada "Muttaka", que era onde o nosso Profeta costumava-se sentar.
 
4. O Mowlid Ali. Onde Hazrat Ali (RA) nasceu.
 
5. Dar-e-Arqam, também conhecido como Dar-e-Kharasaan, a casa onde o Hazrat Umar (RA), aceitou o Islão. Foi aqui que o seguinte verso do Alcorão foi revelado: "Ó Muhammad, Allah é suficiente para Ti; e para aqueles que seguem-te entre os que acreditam na mensagem". Esta é a casa onde Rassululah (Salalaho aleihe wa Salam) costumava aconselhar-se a si mesmo nos primeiros dias do Islam.
 
6. A caverna de thowr, onde Rasululah (salalahu Alihe Wasalam) e Hazrat Abu Bakr (RA) ficaram durante a viagem para Madinah. Esta foi a caverna onde o verso chamando a Hazrat Abu Bakr (RA) o "segundo de dois" companheiros.
 
7. Caverna de Hira no Monte de Noor(Jabal an Noor) onde antes o Profeta desceu aí. Ele costumava passar lá dias e dias em completa solidão até que o primeiro verso do Alcorão foi revelado. Ele ficou então Profeta.
 
8. Masjidur Raya, perto de Mackah, onde Rassululah (Sallahu Aleihe WaSalam), costumava rezar.
 
9. Masjidul Jinn, o espaço onde os Jinns costumavam ouvir uma leitura pelo nosso Rassul. uma vez, Ele levou Hazrat Abdullah bin Mas'ood (RA) consigo para ir ter com eles. Deixou-o longe  deles e o Profeta (salalaho aleihe wa salam) explicou aos Jinns como deviam proceder neste caso. Então, Hazrat Abdullah leu o Quran para eles.
 
10. Masjidul shajarah, o que é o oposto de Maskid Jinn, sendo a mesquita onde ali cresceu uma árvore. Rassululah (Salalaho Aleihe WaSalam) chamou uma vez para que que a árvore viesse ter consigo pelo solo, e ela veio, então, ele mandou-a de volta para o mesmo lugar.
 
11. Masjid Ghanam, também conhecida como Masjud Ijaabah, onde depois de conquistar Mackah, Rassululah (Salalaho Aleihe wasalam) proferiu o juramento de submissão.
 
12. Masjid-e-Ajyaad
 
13. Masjid do Monte Abu Qubays. Esta mesquita pode ser vista desde a mesquita de Mackah. A história de comer caldo de carne de cabra neste lugar está incorrecta.
 
14. Masjid-e-Tuwaa, que é onde o profeta ficava e descansava depois de vir do Hajj ou Umrah.
 
15. Masjid-e-Aisha, onde as pessoas põem o Hiram, para se proceder ao Umrah em Mackah.
 
16. Masjid Aqba
 
17. Masjid Ju'raana, o lugar onde Rassululah (Salalahu Aleihe WaSalam) pôs o seu Hiram, para o Umrah depois de ter vindo de Ta'if, conquistando Mackah.
 
18. Masjid Kabsh. É o sítio onde Hazrat Ibrahim tentou sacrificar o seu único filho Hazrat Ismail.
 
19. Masjid Khaif, a famoso mesquita de Mina.
 
20. A carverna de MurSalaar, onde o surah Al-Mursalaat foi revelado ao nosso Rassul (Salallaho Aleihe Wa Salam). Não é longe de Masjiul Khaif.
 
21. Jannatul Mu'Iaa. As virtudes deste espaço são explicados em vários hadices
 
Para além destes existem muitos outros sítios de bençãos e grande sentido espiritual. E qual é o espaço em Mackah que não é abençoado pelos pés do nosso Profeta Muhammad (Salalaho Alihe Wasalam)?
 
[comentário de  Hadhrat Shaikhul Hadith Zakariyya de 'Fazail-e-Hajj']
 
Adaptado:
http://truelife200vi.wordpress.com/2008/05/01/permanent-residence-in-makkah-mukarramah/
 

 

 

 

 


08
Mai 08

Salams.

 

Obrigado por me terem alertado dos erros que se estavam a passar com o blog. O facto é que  a sapo tem estado a actualizar a sua plataforma, adicionando novos templates, entre outras coisas.

 

Estamos então com alguns erros, mas logo que o processo estiver terminado esses devem desaparecer. De momento remediei a situação mudando as cores temporariamente.

 

Salams

publicado por mh às 19:04
tags: ,

06
Mai 08
Salams.

Eu não compensei este fim-de-semana todo o trabalho de posts que devia ter feito, mas a razão é simples e cruél, estou "atolado" de exames pela frente e a possibilidade de criar um post com conteúdo tem sido difícil. Mas isso não quer dizer que que estarei ausente do site, muito pelo contrário, tenho a certeza que acabarei por ter uma certa vontade de cá vir para escrever sobre Esta Magnífica Religião que é o nosso Islão.

Deixando esses assuntos à parte, soube-se que o repórter Sudanês da Al-Jazeera foi libertado esta semana. Aliás o próprio cana tem focado este assunto muito nos últimos tempos e agora com a libertação, por assim dizer, não se fala noutra coisa.

Eu acho que se devia fazer o contrário? Foi libertado e cala-se? Não, definitivamente não. Existe um longo processo a partir de agora de tentar apurar ainda melhor o que se passa em Guantanamo, com cada vez mais pessoas inocentes a serem libertadas.

À poucos dias, passou na Sic Notícias um programa, não me recordo se era o "Toda a Verdade" ou o "60 minutos", em que havia um convertido ao islão que foi de viagem ao Paquistão para aprofundar os seus estudos. O facto é que quando estava a ir embora desse país, e pelos polícias terem notado que "havia um estrangeiro integrado em paquistaneses", rapidamente prenderam-no e aquele foi enviado para o Afeganistão, misturado com possíveis terroristas talibãs e foi enviado para Guantanamo. Praticamente só 7 anos depois foi libertado. Perdeu toda uma vida, perdeu a mulher que entretanto casou-se e muito mais.

Guantanamo = Justiça????

Voltando ao assunto temático, Sami Al-Hajj denuncia as condições "extremamente difíceis" e os insultos ao Islão naquela prisão.

"Havia várias violações. Éramos privados de rezar e havia (...) insultos deliberados contra o Livro Santo (Corão)", declarou à Al-Jazeera Sami al-Haj, no Hospital de Cartum.

Haj chegou a Cartum num avião militar norte-americano, juntamente com outros ex-prisioneiros sudaneses em Guantanamo.

Há sete anos que estava preso, pelo que não conhecia, até agora, o filho, da mesma idade.

Capturado em Dezembro de 2001 na fronteira afegã pelos militares paquistaneses, Sami al-Haj foi detido em Guantanamo.

Nunca foi, porém, condenado, pelo que várias organizações de defesa dos diretios do Homem se mobilizaram contra o caso.

"Temos o direito de verter lágrimas de alegria depois desses difíceis anos de humilhação, perseguição e injustiça que vivemos sem nehuma razão, excepto por acreditarmos no Senhor Todo Poderoso", declarou.

Interrogado pela Agência France Press, o irmão do repórter de imagem comentou:
"Não acreditamos que seja a mesma pessoa. Tem 30 e tal anos e parece ter 90. Exigimos às organizações humanitárias que enviem uma equipa de especialistas dignos de confiança de Cartum para que procedam aos exames e análises necessários".

Fonte da Notícia

27
Abr 08
O Imam Ibn al-Salah al-Shahrazuri escreve no seu famoso Muqaddamah:

"Alguém que perde o seu tempo tentanto estudar com muitos professores somente para adquirir reputação de ter tido imensos professores e a fama que daí advém, não será bem sucedido.
As palavras de Ibn Hatim al-Razi não se referem a isto; que são, "Quando escreves um hadith, "pega" em tudo. Quando o transmites, sê selectivo"

[Muqaddamah Ibn Salah]


25
Abr 08
Salams.

Para completar as restantes fotos e artigos que aqui tenho colocado, vou adicionar mais algumas com o Dubai antes/Dubai Depois e com os projectos do futuro do Dubai.






















Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Free chat widget @ ShoutMix
pesquisar
 
blogs SAPO