27
Abr 08
Salams.

Veiled Voices é um documentário que tem o objectivo de mostrar a forma como se processa o ensinamento religioso ás mulheres, mas mais ainda, quer mostrar as dificuldades e os obstáculos que as alunas conseguem passar para se tornarem Álimas, e muitas, conceituadas. Contrastando as aspirações públicas e privadas de algumas dessas mulheres em diversos países e os líderes religiosos (homens) que suportam esta causa, ou que falham nela.

Podem consultar o site oficial aqui.




O Imam Ibn al-Salah al-Shahrazuri escreve no seu famoso Muqaddamah:

"Alguém que perde o seu tempo tentanto estudar com muitos professores somente para adquirir reputação de ter tido imensos professores e a fama que daí advém, não será bem sucedido.
As palavras de Ibn Hatim al-Razi não se referem a isto; que são, "Quando escreves um hadith, "pega" em tudo. Quando o transmites, sê selectivo"

[Muqaddamah Ibn Salah]


25
Abr 08
Salams. Já há muito que não colocava uma notícia no blog, na sua integridade, mas esta pareceu-me bastante interessante, pois não será motivo de geração de mais polémicas, mas sim, algo para os mais curiosos tentarem entender. É uma boa perspectiva apresentada pelo Professor, mas que deveria ser mais aprofundada como argumento da tese defendida:

"Michael Ross diz que ouro negro perpetua sociedades patriarcais Há autores que dizem que a fraca emancipação das mulheres é culpa do islão ou do falhanço da democracia em alguns países do Norte de África ou do Médio Oriente. Mas Michael Ross, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, tem opinião diferente: afirma que a preservação de culturas e instituições políticas patriarcais é culpa do petróleo.

Num artigo que compara dados das últimas quatro décadas, publicado recentemente na American Political Review of Science, Ross escreve que quanto maiores forem as receitas do petróleo e do gás maior será a entrada de moeda estrangeira e maiores serão as importações. Assim menores serão os empregos que as mulheres poderão ocupar.

Estas, isoladas, sem dinheiro, sem acesso a uma troca de informações, têm mais dificuldade em fazer valer as suas ideias nas sociedades e menos capacidade de mobilização política para defender os seus direitos. "O petróleo perpetua o patriarcado", argumenta o professor norte-americano, colocando em causa a teoria de que o crescimento económico promove a igualdade de género.

O estudo compara os casos da Argélia e da Tunísia, a primeira rica em hidrocarbonetos e a segunda não, onde um rendimento per capita de 937 dólares e uma representação parlamentar feminina de 6% contrastam com um rendimento de 61 dólares e uma representação de 22%.

"Os diferentes tipos de crescimento económico podem ter efeitos diferentes nas relações de género. Quando o crescimento é resultado da industrialização deve trazer mudanças semelhantes à modernização. Mas as receitas provenientes da extracção de petróleo desencorajam muitas vezes a industrialização ao causar a chamada doença holandesa [relação entre a exploração de recursos naturais e o fim da manufactura]", escreve Ross no seu artigo.

O autor diferencia ainda os países onde as mulheres já estavam activas no mercado de trabalho antes da exploração do ouro negro, como sejam a Síria ou até o México, que ele considera excepções interessantes. "As mulheres de ambos os países podem ter beneficiado de muitos anos de governos de centro-esquerda que revelaram interesse pelos seus direitos", argumenta Ross, num artigo provocador onde o islão não é o suspeito do costume."

fonte: DN Online

Salams.

Islamnet.eu

13
Abr 08
"Por ventura, não te encontrou (Deus) órfão e te amparou? Não te encontrou extraviado e te encaminhou? Não te achou necessitado e te enriqueceu? Portanto, não maltrates o órfão, Nem tampouco repudies o mendigo. Mas divulga a mercê do teu Senhor, em teu discurso"

(Alcorão 93:6 à 11)

Para verem melhor e com transliteração o Surah consultem:

http://myciw.org/modules.php?name=Alcorao&action=viewayat&surano=93

Salams. Hoje estava a ler o Alcorão, já próximo do fim e resolvi deixar aqui no blog esta passagem. Espero que reflictam da melhor forma, mas que após isso passem o vosso pensamento para um discurso e para o activo.

Salams
Islamnet.eu

09
Abr 08
Salams. Nós muçulmanos temos que cumprir a Shariah e como tal sempre que encontramos algum muçulmano devê-mos dizer Assalamo Aleikum. Nos meus posts escrevo sempre Salams, mas o significado é o mesmo, mas digo Salams pois é uma forma mais no plural para se cumprimetar a todos. Como vêm, esta é das coisas mais interessantes na religião islâmica, pois mesmo que não conheçamos uma determinada pessoa e desde que ela seja muçulmana, temos a obrigação de cumprimentar com um Assalamo Aleikum. Acaba-se por perceber quem é e que não é muçulmano devido aos trajes de cada pessoa. Mas imaginemos que ficamos na dúvida se aquela pessoa é Muçulmana ou não, então devemos cumprimentar com um Assalamo Aleikum, nem mais baixo, nem mais alto, no mesmo tom de vós. E se essa pessoa não for por acaso muçulmana e não responder, não devemos ficar com vergonha perante ela, pois a grande "vergonha" seria não cumprimentar uma pessoa que à partida fosse muçulmana.

No caso de cumprimentarmos uma pessoa que é muçulmana mas que não reponde ao Salam, devemos repetir o Salam. Se à segunda vez essa pessoa não responder, não devemos perguntar uma terceira vez pois já é pecado para aquela.

Segundo a Sharia, existe um grande Sawab em cumprimentar-se não só dizendo Assalamo Aleikum, mas acrescentanto outra parte, ficando Assalamo Aleikum wa Rehamtulahi wa Barakhatu. Deste modo a outra pessoa deve responder, Wa Aleikum Salam wa Rehamatulahi wa Barakhatu.

Para além disso, é Sunnah (pois o nosso profeta o fazia), cumprimentar com as duas mãos e não só coma direita. Atenção que é Sunnah e que não é obrigatório.

Porém quando nos despedimos, nós muçulmanos temos hábito de dizer Khudah Hafiz. Mas, segundo o nosso irmão do blog em inglês, At-Tazkirah, que enunciou um Hadice, dizer Khuda Hafiz, é incorrecto pois não se cumpre a regra da Shariah.

O hadice enunciado é o seguinte:

Hakeemul Ummat Hadhrat Maulana Muhammad Ashraf Ali Thanvi (qudduhus sirruhu) menciona:


Na altura de despedida algumas pessos ao invés de dizerem "Assalamo Aleikum" dizem somente "Khuda Hafiz". Contudo isto é uma mudança na Shariah, o que é um grande pecado. Até mesmo o hábito de se dizer Khuda Hafiz depois do Salam é proibido"
(Ahsaanul Fatawa, vol. 1 pg. 385)

[Retirado de "Aghlatul-Awaam (Awaam ki Ghalat Masa'il)"]

http://truelife200vi.wordpress.com/2008/04/09/khuda-hafiz/

Deste modo, despeço-me com um Assalamo Aleikum.

08
Abr 08
Salams.

Todos os muçulmanos rezam as suas orações numa direcção, a chamada direcção de Qiblah. Este Qibla refere-se ao Kabah que está em Meca/Mackah, e é na direcção de Meca que todos os muçulmanos rezam as 5 orações, Fajr, Zohor, Assr, Maghrib e Isha, bem como todos os outros nafils e sunnats que podem ser rezados e outros que são determinados para certas épocas do ano islâmico, como o Ramadhan (Ramadão).

No Islão só há um Livro que é primeiro e que está por cima de todo e qualquer hadice ou pregação, o Alcorão, mas no Islão existe também uma única direcção para onde se deve rezar, Meca. Todavia, existe em Madinah uma mesquita em que o profeta permitiu que se rezasse tanto para a direcção de Meca como para a direcção de Jerusalém, Al-Aqsa (não me recordo ao certo o nome da mesquita, mas chama-se de uma forma comum por " Mesquita de 2 Qiblas") No Alcorão, Allah afirma:

“ Aonde quer que vás, orienta o teu rosto para a Sagrada Mesquita. Onde quer que estejais, voltai vossos rostos na sua direção”. (Surah 2, vers. 150)

Antigamente, e no tempo do profeta e até mesmo nomeadamente durante a ocupação da Península Ibérica, não haviam bússulas como existem hoje para determinarmos a direcção de Qibla. Os nossos antepassados construíam então determinados pólos ou seguiam-se por montanhas e coisas do género para determinarem a direcção. Os mirantes das mesquitas eram também direccionados para Meca permitindo uma fácil adaptação a todos os povos.

Para além disso, haviam sempre os métodos mais tradicionais, mas só os conhecedores desses métodos é que possuiam a capacidade de determinar a direcção.

Actualmente, em qualquer loja que venda tapetes para orações, relógios para o Azan e coisas do género, mesmo em Lisboa, no Martim Moniz, Odivelas ou Laranjeiro poderá encontrar umas bússulas que têm predefenida a direcção para se rezar para Meca, e basta-nos ver o código e acertar os ponteiros. Pode parecer difícil, mas comprando uma bússula destas perceberão logo o que estou a tentar explicar.

Mas imaginemos que não existe nenhuma mesquita orientada, não existe bússula alguma , e estamos por exemplo num  hotel  em viagem  num país não muçulmano. Não poderemos possivelmente pedir ajuda a alguém que lá viva, logo teremos que fazer um esforço para tentarmos delinear o trajecto desde a última mesquita/local em que estivemos a rezar, e tentar descubrir a orientação exacta.

Porém, se não conseguirmos determinar a orientação, devemos rezar na direcção que mais nos convier e que acharmos mais correcta. Se durante a oração, alguém nos vier dizer que estamos a rezar para uma direcção errada devemos corrigir e continuar a rezar sem interromper a oração.

Por outro lado, muitos se questionam da posição na oração. O Nosso Profeta S.A.W. diz-nos que se estivermos doente, se estivermos em fuga de um ataque ao inimigo (referindo-se aos tempos mais antigos), devemos rezar na posição que mais nos convier, deitado, sentado, ou "no cavalo", se for caso disso. A posição base e obrigatória para todos os outros casos é de pé.

Muitos de nós, quando estão no avião ou num barco não conseguem ter noção da direcção para onde rezar, pois estes meios de transporte curvam constantemente. Nesses casos, não é preciso orientarmo-nos de forma nenhuma, pois qualquer direcção em que se reze será aceite.

Salams
islamnet.eu


 


05
Abr 08
Salams. Recentemente recebi um e-mail a perguntar porque é que eu não mudava o blog islamnet para uma plataforma wordpress (eu pago o meu host), já que tinha um blog, MuslimLive alojado nela.

De facto, cada vez mais penso nisso, tal como o Meraj, que já decidiu mudar o seu blog sobre telemóveis para essa plataforma. Eu penso também nisso, pois quando registei o blog islamnet nos blogs da sapo pensei que era uma plataforma espectacular, muito mais avançada que o blogspot, algo incomparável com todas as outras plataformas. Eu tinha esse pensamento, pois não percebia nada de blogs, não sabia grande coisa sobre a personalização e sobre os limites de personalização. Agora que sei, vejo como os blogs da sapo estão muito atrás, e cada vez mais vão ficando à medida que saem novas e mais novas versões do wordpress por exemplo (vai na 2.5). A wordpress permite a inserção de plugins diversos, permite que sejamos nós a fazer um upload de um plugin que gostemos, seleccionar um template bastante personalizável criado por por encomenda ou mesmo fazendo um download de um site que os ofereça sem quanlquer pagamento, e olhem que existem muitos.

Posso-vos dizer que esperava mais da plataforma dos blogs da sapo, esperava mais também em termos de evolução. Há mais de um ano que os utilizadores pedem templates novos, e até agora nada. Todas as outras plataformas possuem um template que "está na moda", que é o de 3 colunas, uma de posts, e duas de lado de barra lateral e os blogs da sapo não têm nada disso (pelo menos que seja personalizável).

Há muitas coisas que os blogs da sapo não têm, mas se enumerasse todas nunca mais conseguia acabar o post.

Portanto, cada vez mais inclino-me para a mudança de plataforma, mas isso não vai acontecer de imediato, quero ver se existem novidades por aí além. Já que, se em 6 meses nada de novo foi criado (em grande) pelos blogs da sapo, pode ser que esteja para vir a grande revolução!!! Quem sabe?

Também não mudo de plataforma já, pois acho que os blogs da sapo são a melhor forma de atrair visitas interessantes e sejam portuguesas.

Mas não sei se esta última vantagem vai continuar a ser uma grande vantagem.

Salams

Salams. Há momentos decidi olhar para o contador (statcouter) no site e verifiquei que tinhamos já passado a fasquia dos 100.000 visitantes únicos, o que é muito gratificante para nós, Islamnet.eu.

Esperamos que para o próximo ano cheguemos à fasquia das 100.000 visitas e que continuemos e prossiguemos assim a melhorar em termos de conteúdo e de ajuda/suporte, que é realizada pelo nosso e-mail geral@islamnet.eu.

Nós queremos continuar a evoluir e para tal precisamos também de mais colaboradores que desejem escrever e postar no blog, seja neste ou seja no MuslimLive.net que é um novo projecto em inglês em colaboração com Merajnet.com.

Na altura em que iniciei o blog islamnet, não haviam grandes comunidades de blogs na internet em português cujo tema fosse o Islão. Agora isso já não acontece, e existem mais alguns blogs islâmicos na blogosfera de língua portuguesa. Nós desejamos que este tipo de blogs continuem a crescer, e que o Islão passe a ser melhor entendido por aqueles que nos vêem por fora.

Deixo então uma lista de blogs islâmicos da blogosfera de língua portuguesa:

Mundo Islâmico


Centro Cultural Islâmico do Porto

Moçambique Islâmico

Portugal Islâmico

31
Mar 08
Salams.

Hoje, para não estar a escrever dois posts e para que possam receber mais cedo tudo logo no vosso RSS decidi juntar estes temas e falar deles num só.

No Fórum MyCiw falava-se por um dos membros deste que iria haver um teatro em Estarreja cujo tema é "O Senhor Ibrahim e as Flores do Corão". O teatro é por Eric-Emmanuel Schmitt (filósofo e escritor) e a encenação de João Maria André.

"Tudo se passa numa loja que é um bazar. Para cá da loja, fica a cidade de Paris, com todo o mundo que aí chega e que daí parte. Para lá da loja, ou melhor, lá no seu fundo, no mais fundo do seu interior, há o calor de uma casa, onde mora o Senhor Ibrahim e que na cumplicidade dos gestos e do olhar, acolhe também o pequeno Momô, e onde ele aprende que há formas de pensar que são doenças e que há pessoas que vivem mais quando aprendem a andar livremente por dentro do mundo e do pensamento."

Eu  tenho quase a certeza que não poderei ir ver a peça na sua encenação realizada no dia 5 de Abril às 22 horas, mas que espero vê-la numa nova data.
De qualquer formo aconselho a todos os que tenham disponibilidade que o façam e que levem a família, pois são 5 euros apenas por pessoa.

Podem consultar mais informações no Link Abaixo:

http://www.cineteatroestarreja.com/evento.php?id=115

Escrevo também este post pois corre um cartaz por várias mesquitas do país com um pedido a todas as pessoas interessadas em doar sangue, para se deslocarem no dia 4 de Abril , ou seja na próxima sexta-feira, à Mesquita Central de Lisboa, onde poderão efectuar o processo tal como seria no hospital, e poderão ajudar muitas pessoas que dele necessitam neste país.

Se não sabem ao certo a localização da mesquita podem consultar o seguinte tópico:

http://islamnet.blogs.sapo.pt/145876.html

Salams,
Islamnet.eu


Salams.

Owais Qadri lança agora um novo álbum e esta é das músicas que mais passa na televisão via satélite, em canais como o Peace TV, Islam Channel ou QuranTv(QTV). "Rang" significa cor, e é isto que de uma forma metafórica, neste Nasshed, Owais Raza Qadri pede ao nosso Maula, Mustafah, Nabih (Profeta Muhammad S.A.W.).

Deixo o vídeo, onde podem ver o Naat original "Mujhe Rang de Maula" deOwais Qadri:


Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
blogs SAPO