13
Jul 08

Salams irmãos. Peço desculpa por não ter estado a escrever posts nos últimos dias, mas a disponibilidade tem sido pouca por razões profissionais. Não quero, todavia, que o blog fique assim à deriva, muito pelo contrário, vamos continuar a crescer e a ter mais e mais projectos em nome do Islão.

 

Como o título indica, hoje pretendo falar-vos sobre a Sunnah. Mas como sei que existem ainda muitos não-muçulmanos a visitarem o blog, pergunto-vos: O que é a Sunnah? É simplesmente seguir o caminho e as pegadas do Profeta, fazer o que o Profeta fazia. A Sunnah corresponde a todas as acções que o profeta Muhammad Salalaho Aleihe Wasalam realizou durante os 23 anos em que trasmitiu ao seu povo a mensagem de Allah Subhana wa Taala.

 

Segundo a perspectiva menos polémica e a qual eu mais concordo, seguindo a corrente islâmica Sunita e o Imam Abu Hanifa (RA) a Sunnah é implicitamente tudo o que o profeta fez, disse, aprovou ou negou, tudo aquilo que foi passado ao seu Umah sob a forma de Hadith, aquilo que não está directamente escrito no Alcorão.

 

Isto é, a Sunnah não é obrigatória, a nós Muçulmanos compete seguir o que está escrito no Alcorão, mas também deve-se seguir tudo o que está escrito nos Hadices, tudo o que não contrarie o Alcorão, ou seja, os Hadices "fortes".

 

Por exemplo, nos namazes que fazemos temos Sunnahs, como no namaz de Asr, em que só somos obrigados a fazer os 4 rakats de Faraz, que são obrigatórios, já os 4 rakats de Sunnah que temos antes desses Faraz não são obrigatórios, mas era algo que o Profeta costumava realizar, segundo os vários Hadices.

 

Assim sendo, muitas das acções de Muhammad Salalaho Aleihe Wasalam eram registadas e seguidas pelos seus companheiros, tornando-se em Hadices (as registadas), outras eram trasmitidas pelos companheiros aos filhos destes e assim sucessivamente, havendo depois filhoes dos companheiros que acabavam por escrever os ditos dos seus pais, tornando-os em Hadices (extratos de...)

 

Uma questão que se coloca é se o Sunnah está na verdade, e por assim dizer, vivo ou se por outro lado começa a desaparecer.

 

O nosso irmão do blog At-Tazkirah escreveu um post sobre esse assunto.

 

 

Fazendo um discurso sobre o amor do nosso Rassul Salalaho Aleihe wa Salam e a importância de praticar o Sunnah, Faqihul Ummah Hadhrat Hajji Farooqi Sahab (rahimullah ta'ala) fala sobre a frase "reviver o Sunnah"

 

 

"É comumente discutido ( "o reviver a Sunnah"), mas de facto a pessoa que vive o Islam praticando a Sunnah, ele próprio torna-se vivo pela Sunnah, porque a Sunnah está viva e sempre estará. A sunnah não está morta, nós deixámos a sunnah devido aos nossos pecados e não deixámos conexão alguma entre a Sunnah e nós, nós enfraquecemos o Ta'aluq bi'Sunnah. É por isso que está frase torna-se conflituosa, mas na realidade nós é que estámos mortos e se praticarmos a religião pela Sunnah, então pelas bençãos dessa prática nós voltaremos a viver".

 

Salams

Islamnet.eu

 


Salaam!

Ora aqui vai uma resposta não-muçulmana à sua pergunta.

Como sabeis, melhor do que eu, a palavra árabe "sunnah" quer dizer apenas "caminho" ou "prática."

Quanto a Muhammad, o Alcorão dirige-se a ele do seguinte modo: «Lembra-lhes, ó Muhammad, pois tu não és mais do que um mensageiro!» (88:21).

Diz-se noutro versículo sobre Muhammad: «Cinge-te ao que se te inspirou. Tu estás no recto caminho. Isto é uma Mensagem para ti e para o teu povo» (43:43,44).

A Sunnah, tal como refere, recorre sobretudo a duas fontes de origem diversa: o Alcorão e o Hádice (ou Hádices).

Como é sabido, este último livro que não é contemporâneo de Maomé, mas posterior, escrito pelos discípulos.

Os próprios sheiks muçulmanos reconhecem que o Hádice é mais normativo e condicionador que o Alcorão, o qual pode ser considerado mais livre pois prescreve a observância de menor número de regras.

Agora, pergunto-vos eu:
- não é possível que "seguir" Muhammad, ao invés de querer dizer, obedecer às regras restritivas do Hádice que NÃO saiu da boca do Profeta, queria antes dizer «Cinge-te ao que se te inspirou»?
- não é possível que o “caminho” da Sunnah queira antes dizer “segue aquilo que te inspira”?
- não é possível que a via de Muhammad seja a voz do coração que nos fala interiormente e não as ordens que os seus discípulos, envolvidos em guerras de sucessão após a morte do Profeta, escreveram para exercerem o poder sobre o povo muçulmano?

Permita-me uma última reflexão: considero, do que conheço, que o Islão, na sua época áurea, teve grandes pensadores, maiores entre os maiores (grandes matemáticos, grandes gramáticos, grandes filósofos, grandes calígrafos, grandes poetas, grandes governantes também, etc.), mas CAUSA-ME ARREPIOS assistir às interpretações mesquinhas a que políticos e religiosos muçulmanos chegam para manipular as classes mais desfavorecidas (e menos alfabetizadas), votando a sua própria cultura a um triste declínio.

Os muçulmanos (e os não-muçulmanos também), neste momento da História, precisam de seguidores à altura de Akbar "O Grande" (1542-1605, Índia) e de Abderrahman III (889-961, Córdova, Península Ibérica) ou.

Não se trata de tolerância (que, etimologicamente, significa “suportar sofrimentos”), mas de bem-estar, de possuir vistas largas, abertura, visão…

O nosso mundo, muçulmano ou não, precisa muito disto.

http://www.indhistory.com/akbar.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Abderram%C3%A3o_III
duarte a 16 de Julho de 2008 às 20:19

Um princípio de visão (talvez):

http://www.estado.com.br/editorias/2008/02/10/ger-1.93.7.20080210.6.1.xml
duarte a 16 de Julho de 2008 às 20:53

Salams

Obrigado pelo comentário! A sunnah não passa o farz, os hadices contêm sobretudo o que diz respeito ao Sunnah do nosso profeta Muhammad Salalaho Aleihe wa Salam, ou seja, reportam tudo o que o Profeta fazia, as suas acções, tudo. Sendo que Muhammad é um mensageiro, tudo o que Ele fez estava na senda recta e divinda oferecida por Allah. Se o que ele fez foi sempre o certo, o bem, o correcto devemos segui-lo como exemplo.

Ora, existem hadices que são fracos e é aí que surge algum "grande" conflito, pois há Sheiks com influência a defenderem que todos os hadices devem ser mantidos. Mas como? Se um contraria o outro e se outros contrariam o Alcorão???

Acho que devemos fazer tal como o irmão Duarte disse, reflectir no assunto e tentar aprofundar os nossos conhecimentos com os links que o Duarte colocou.

Salams
mh a 17 de Julho de 2008 às 16:53

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

20
21
22
24
25
26

27
28
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Free chat widget @ ShoutMix
pesquisar
 
blogs SAPO