15
Mai 08

Assalamu Aleikum,

 

Bom, o certo é que o Islam permite poligamia, ou seja, casar com mais do que uma pessoa. No Islam, somos restrictos a quatro esposas. As minhas opinioes sao indiferentes nesta notícia, eu acredito que duas pessoas devem-se amar umas as outras, e nada mais, para mim, só um amor. Neste caso estamos a falar de relacoes, e nao amor familiar, etc. Gostaria de saber as vossas opinioes tambem, entao nao se esquecam de comentar.

 

Uma mulher sul-africana entrou com um processo judicial para ter direito à herança deixada pelo marido. Gabie Hassam foi a segunda mulher a se casar com ele.

Até agora, a lei sul-africana reconhece apenas os casamentos polígamos de crenças africanas, não os muçulmanos.

Hassam foi casada por 30 anos e teve quatro filhos com o marido. Mas depois que ele morreu, ela não pode herdar seus bens, porque era a segunda esposa, casada pela lei religiosa islâmica.

Agora, Hassam corre o risco de perder sua casa.

Segundo a especialista em assuntos religiosos da BBC, Frances Harrison, caso a Justiça sul-africana dê ganho de causa a Hassam, a decisão poderá abrir caminho para que milhares de viúvas de casamentos polígamos muçulmanos possam ter direito à herança deixada por seus maridos.

A correspondente da BBC afirma que grupos de defesa dos direitos das mulheres aguardam com expectativa a definição do caso e esperam que a lei seja revista, para incluir também os casamentos islâmicos.

Estima-se que cerca de um milhão de muçulmanos vivam na África do Sul.

Apenas recentemente a Justiça do país passou a reconhecer os casamentos realizados de acordo com as leis islâmicas, mas ainda não reconhece os casamentos polígamos islâmicos.

Em 1998, a Justiça africana passou a reconhecer os casamentos polígamos realizados de acordo com tradições africanas, em uma medida com o objetivo de proteger os direitos de mulheres e crianças em relação a propriedade.

 

Fonte: BBC Brasil

publicado por Meraj Chhaya às 17:34

Salaam a todos!

Eu não professo o Islão (pelo menos, não o da forma instituída), portanto o meu conhecimento é o de alguém não muçulmano, que pouco ou nada sabe ler em árabe, etc.

Contudo, do que percebo, o matrimónio islâmico sob a forma de poligamia restrita a quatro mulheres não é mais do que a representação social das 4 fases ou 4 quartos da Lua, uma vez que o processo cósmico e a concepção do tempo, para os Islâmicos, é claramente lunar...

É apenas uma representação da passagem do tempo e dos seus 4 momentos (por isso se compara no mundo árabe e também nos mundos ocidental e oriental, o rosto e formas da mulher à Lua, etc.).

A minha opinião sobre a poligamia é que, a bem da convivência e da saúde do clã familiar (dadas as doenças sexualmente transmissíveis que andam aí), deve ser o mais transparente possível e aceite por todos os elementos como situação desejável. Tudo o que é imposto não resulta por muito tempo, já se sabe...

Se assim for, não vejo qualquer inconveniente (senão talvez o factor económico - sustentar ou ser sustentado por 4 mulheres não deve ser fácil... e aturá-las e fazer com que concordem... ui... é preciso estar habituado a uma certa "dinâmica" familiar)

:-))
duarte a 10 de Junho de 2008 às 11:14

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
16
17

19
20
22
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
blogs SAPO